Scrum

Eu realmente gosto muito de Scrum, embora reconheça que é provável que eu nunca mais o utilize na minha vida profissional.

Scrum é como a primeira namorada ou primeiro namorado 🥰. Você amou um dia, provavelmente vai lembrar dele para toda a vida, mas muito, muito provavelmente, não será pra sempre 💔.

Explico melhor…

Scrum, para muitos, é o primeiro contato com um processo estruturado

Para a grande maioria das empresas e pessoas que atuam com software em pequenas empresas, Scrum será a primeira vez que conceitos como “artefatos“, “papéis”, “responsabilidades” e “cerimônias” serão praticados. ⚙️

Com Scrum, você rapidamente …

  • adia o problema de criar uma boa relação entre as áreas de negócio e técnica ao criar uma separação muito clara de responsabilidades;
  • … protege o time das flutuações mentais das donas ou donos do dinheiro na empresa;
  • dá aos gestores uma forma de medir tempo e produtividade;
  • cria uma cadência, um ritmo. E ritmo é o que faz de uma equipe de software poderosa no longo prazo.

Um paralelo com frameworks de código

Nas minhas experiências com frameworks, sempre tem um momento de “uau, como meu trabalho ficou mais rápido” para um “que burocracia de merda nesse framework de #*%$”.

Na prática ter uma estrutura que foi definida por outra pessoa vai ajudar em um grande número de casos, embora não seja perfeito.

O contraponto é que construir algo sem o framework exige muito mais experiência e conhecimento 👵🏾👵🏾. E é isso que uma experiência fiel ao Scrum te dará em um ou dois anos.

Viver uma experiência fiel com Scrum

Eu recomendo que você faça a famosa certificação de um final de semana como Scrum Master. É uma grana que se paga. Se der, faça de Product Owner também 🎓🎓. Vale cada centavo. Mas não se apegue à elas (lembra da metáfora do primeiro amor?).

Eu recomendo pelo seguinte, o Scrum só vale a pena se for para vivenciar ele exatamente como está escrito. A certificação te empresta uma autoridade especial com a certificação para sustentar isso na empresa.

Muito provavelmente, de forma até bem irônica, o Scrum vai gerar desperdícios. Muito provavelmente a turma vai reclamar da reunião diária, algumas reuniões de planejamento serão massantes, retrospectivas cairão no vale sem fim das reclamações que a gestão não consegue resolver e blá blá blá … Todas as críticas da comunidade fazem sentido …

Não importa. Sem Scrum é ainda pior.

Scrum também vai gerar clareza sobre o valor de ter papéis e responsabilidades bem definidas. Scrum vai ensinar o valor dos limites de tempo nas reuniões. Vai te ensinar a confiar no time.

Scrum vai te ensinar sobre processos. Querermos ir em frente e Scrum é um passo adiante embora não seja o ponto de chegada.

Então, de repente, você começa a ver…

No primeiro momento, se você não segue o Scrum à risca, você corre o risco de não compreender o valor de determinados elementos do processo.

Seguir ele exatamente como definido é fundamental. Você não pode melhorar uma experiência que não viveu de forma completa.

Depois de passar um ciclo de 20 ou 30 sprints de duas semanas, você começa a ver. 👁️👁️

Você começa a ver de verdade coisas que não estavam tão claras antes, os gargalos, os buracos de responsabilidade não definida, os artefatos inúteis, as cerimônias que já não contribuem.

Aí chega um momento que você vai começar a entender como o processo dentro da sua empresa pode ser melhor do que o Scrum.

Ah, mas a empresa não faz Scrum direito

Alguns podem não fazer o Scrum direito porque já passaram por essa fase que relato aqui e estão tentando melhorar o processo. Outros podem estar apenas sendo relaxados demais com as regras de modo a privilegiar a preguiça e a falta de disciplina (porque é bem chato seguir o processo à risca, é um esforço).

Seu papel é estudar. Se rolar uma chance, pede para a empresa patrocinar uma certificação. Leia mensalmente o guia do Scrum.

Com o tempo você ganha discernimento e quando chegar a sua vez se conduzir, estará preparado ou preparada.

Adultos e Incerteza

Scrum foi criado para que times maduros possam trabalhar juntos para criar um incremento de um produto, cujo resultado final esperado é, no início do trabalho, algo não claro.

Falamos aqui de um problema complexo, não complicado.

O complicado, por mais difícil que seja, você consegue ver tudo que deve ser feito. No complexo, você só enxerga uma parte, todo o resto terá que ser descoberto.

Então, há pelo menos dois requisitos muito importantes no Scrum:

  • Adultos;
  • Incerteza.

Se o time é júnior demais ou tem muitos estagiários. Eu sugiro que use uma abordagem mais de mentoria, com um sênior como um super gerente até que os mais novos ganhem um pouco mais de experiência, e aí, migre para o Scrum.

Se o time tem total clareza do que deve ser o produto final, modelos cascata cairão bem e darão maior segurança aos gestores. Isso faz mais sentido na engenharia civil, softwares por licitação ou projetos terceirizados muito bem definidos.

Adicionalmente, tem dois pontos que o Scrum endereça mal e são relevantes. Design e Arquitetura.

Algumas etapas de design precisam anteceder a construção dos recursos de um produto. E alguns movimentos de infraestrutura de software também, como planejamento para escalabilidade horizontal ou mecanismos de persistência.

Nestes dois casos, confie no que os especialistas to seu time disserem que precisam antes de entrar nos ciclos de Scrum e em paralelo, talvez você precise buscar uma mentoria ou cursos mais avançados. Tem material nessa área, mas exige mais.

Conclusões

  • Quando for praticar Scrum, seja fiel;
  • Scrum é para adultos trabalhando em ambiente de incerteza;
  • Scrum é bom, é maravilhoso, não deixe os haters te desanimarem;
  • Quando você virar o hater, lembra que é uma fase, e quem está começando precisa de algo estruturado;
  • Faça as certificações;
  • Não se apegue às suas certificações;
  • Modelo cascata também é legal, não seja preconceituoso.
  • Curta a experiência com o framework, ele não será pra sempre, mas o seu aprendizado será.

Conversar? No Twitter.